quinta-feira, 16 de junho de 2011

pelo espelho


Tudo que eu vejo pelo espelho
É um detalhe que eu esqueci de me contar
Eu agradeço seus conselhos
Mas agora um pouco tarde pra chorar

É tudo que eu sei, é o que me resta agora
É tudo que eu sei da dor que me devora
E tudo que eu sei é que eu não saio do lugar

Foi uma mera coincidência
Ou foi o acaso que deu chance ao azar
Eu me espalho facilmente
A minha sorte é ter você pra me juntar

Enquanto a chuva cai lá fora
Eu vejo um barco de papel se despedaçar
Toda tristeza se transforma
Em alguma boa história de se contar

A tristeza se transforma
Em alguma boa história de se contar

Nenhum comentário:

Postar um comentário